sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Do Pré-Cambriano ao Paleozóico


A Era Pré-Cambriana
Era pré-cambriana (Criptozóico) é o intervalo de tempo geológico que se iniciou há cerca de 4 bilhões de anos, idade das rochas mais antigas que se conhecem, e se encerrou há 570 milhões de anos, quando teve início o período cambriano da era paleozóica. É o intervalo mais antigo e mais longo da história geológica do planeta e representa 80% de todo o tempo geológico. É dividido em duas fases: O arqueano e o proterozóico.
Arqueano: Neste periodo A vida provavelmente deve ter sido limitada a simples organismos unicelulares não nucleados, chamados procariontes, pois não há fósseis de eucariotos tão antigos. Fósseis de tapetes de cianobactérias (estromatólitos) são encontrados por todo o Arqueano.
Proterozóico: foi a era mais longa de todas, durando quase 2 bilhões de anos, A vida era encontrada ainda exclusivamente no oceano, porém as criaturas unicelulares aparentemente têm um núcleo verdadeiro e, faltando apenas 30 milhões de anos para o fim do Proterozóico surgiram as primeiras criaturas multicelulares.
Eon Fanerozóico
O termo “Fanerozóico” geralmente é aplicado para o Paleozóico, Mesozóico e Cenozóico. Isto contrasta com o "Pré-Cambriano" que durou um muito mais tempo, mas foi caracterizado por micro-organismos que geralmente não deixam fósseis. Foi descoberto no Pré-Cambriano superior (Vendiano/Ediacariano) formas de vida complexas e este termo “Fanerozóico” ainda é usado para definir o período do desenvolvimento e evolução dos grupos mais desenvolvidos de organismos como artrópodes, moluscos, vertebrados, etc. A tabela abaixo mostra uma divisão do Eon e das eras e períodos.

Paleozóico
A Idade de Vida Antiga


Das três eras principais que compõem o Fanerozóico, o Paleozóico é o mais longo e mais diversificado, nessa época os seres vivos evoluíram dos mares até animais terrestres bem desenvolvidos como os répteis e as grandes florestas

Paleozóico Inferior
Idade dos Invertebrados

Radiação de Coelomate (explosão Cambriana) - origem de grupos principais organismos de Sistema nervoso, padrões de sobrevivência e consciência simples. Os continentes estão separados.

Paleozóico médio
Idade dos Peixes


Condições tropicais no Hemisfério Norte. Extinção de muitos "grupos animais primitivos", diversificação de grupos de invertebrados sobreviventes, domínio de Vertebrados (peixes). A vida invade o meio terrestre (Rhynophytes, Licófitas, Artrópodes e proto-anfíbios)

Paleozóico Superior
Idade dos Anfíbios e Répteis Primitivos

Idade de gelo. Carvão de licopódios gigantescos, calamites, pteridófitas e samambaias cobrem as massas de terra tropicais do Hemisfério Norte. No sul a Gondwana se encontra debaixo de geleiras. Os continentes se unem. Répteis conquistam a terra.

Mesozóico
A Idade dos Répteis

O Mesozóico foi chamado de a "idade dos répteis", mas "idade dos dinossauros" seria mais apropriada. As condições eram tropicais quase no mundo todo. A única massa de terra Pangea que foi tão proeminente no Triassic inferior, começa a se separar no final do Jurássico. Oceanos rasos cobrem muito dos continentes. Mamíferos permanecem pequenos, possivelmente noturnos. A maioria dos grupos modernos de organismos aparece e diversifica-se.

Cenozóico
A Idade da Vida Atual e dos Mamíferos
Esta é conhecida como a idade dos mamíferos. Durante este período, seguindo a extinção dos dinossauros, mamíferos evoluíram ao redor de pequenos grupos, ancestrais dos mamíferos atuais e de também muitas formas pré-históricas diferentes. As massas de terra tinham uma forma semelhante a atual. Os mamíferos em geral desenvolvem cérebros maiores. O clima, originalmente tropical, fica crescentemente mais sazonal com condições de idade do gelo.

Paleonfósseis: (Edivane, Irleide, Jamille, Patrícia, Stefane)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário